google-site-verification: google5518efc0d93fea89.html
https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=193955005097401183#pageelements

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Outono


Outono, momento frio,
momento de serra, de reflexão, de paz e de amor.
Momento de ficar e pensar
momento de esperar e de ir
momento de erguer os olhos,
de olhar do topo de uma montanha
na altura das nuvens.
Momento de perceber o quanto o universo é grande
e o quanto eu sou pequeno.
Pequeno de tamanho, mas não de alma.
Meu coração explode de emoção
e minha alma explode de paixão por este lugar.
Ai que vista!
Talvez nem todos a contemplem,
assim como nem todos apreciam uma bela lua cheia ou
por de sol de outono.
Ai que por do sol !
Pena tenho de quem não contempla.
O topo altíssimo da montanha.
O frio da serra nos poros sentidos da face
e o calor humano da emoção de apreciar.
A vida é feita de momentos.
Os momentos na montanha podem ser românticos
podem ser introspectivos
podem ser felizes ou meditativos.
Jamais tristes,
porque não há espaço para a tristeza
nesta beleza.
Ai que beleza !
A natureza se supera a todo instante
e eu me supero percebendo realmente que sou pequeno
pequeno em tamanho,
mas não em sentimentos:
meus sentimentos são de apreciação e muito amor.
Ai que amor !
Estou aqui agora e preciso ir, voltar pra casa.
Mas vou e volto.
E enquanto não venho, fico com a lembrança na memoria
e com a foto
no protetor de tela do computador. Outono !

Mutante



Em 1983 ganhei um concurso com o texto abaixo. Parece tão diferente de mim, lendo agora. Espero que gostem !

Mutante

Passo por passo,
pé ante pé.
Ruídos não existem:
Eu sou o silencio.
Lágrima por lágrima,
Uma voz dentro de mim
Que soa tristeza.
Braço por braço,
Mão por mão,
Movimentos rápidos e precisos,
Eu sou a agilidade.
Cara por cara,
Fisionomia por fisionomia,
Eu sou a mudança.
Pingo por pingo,
Lágrima por lágrima,
Eu sou a chuva
Que existe em mim.
Eu sou a vida,
Sou natureza,
Sou sentimento de amor
E de rancor.
Eu sou
Como um mutante
Que vaga no espaço
Sem ter a certeza
Pra onde vai.
Eu sou
Como uma cigana
Que vive aqui e ali
Fazendo trambicagens
Pra levar a vida.
Eu sou
Como uma teu
Que não crê em nenhum deus
E que me julgo uma deusa
- a minha deusa.
Eu sou o meu poder.
Eu sou como um pássaro,
Que voa de galho em galho
Pra tentar encontrar
Mais amor e conforto.
Eu sou como a lua
Que surge como um fio branco no céu,
Um branco sinistro,
Até se transformar
Em algo imenso.
Eu sou como o sol
Que é ofuscante, egoísta e poderoso.
Eu sou como tudo.
Sou perversa e amável
Sou cínica e franca
Sou triste e alegre
Sou fime começo
Sou sangue e água
Sou crueldade e inocência
Sou poder e lamentação
Eu sou o vicio e o remedio.
Eu sou mutante no que faço,
Sou variada no espaço.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Dia dos Namorados



Há quem pense que o Dia dos Namorados (Namorado aqui “entenda-se” assexuado. Pode ser “namorado” ou “namorada”, ok?) foi criado apenas para incentivar o comercio e as vendas de presentinhos.
Há quem diga que este dia não deveria ser comemorado (normalmente este tipo de pessoa é aquele tipo "solteiro", sem namorado).
E há ainda quem diga que deveria ser todos os dias.
Para o primeiro tipo, devemos pensar em não comentar. Normalmente este tipo de pessoa não gosta de colocar a mão no bolso para presentear (nem em aniversarios, nem no natal, nem no dia das crianças rs),
Para o segundo tipo, que posso estar correta ou não sobre estar falando, em sua maioria, dos solteiros, digamos que a inveja realmente é uma merda, como sempre digo :-) Não é porque você necessariamente não tem namorado ou namorada (a opção sexual é sua), que deve ficar gorando o dia amoroso dos demais que tem. E ainda por cima, desejando que não exista este tal dia, porque a solteirice não é, normalmente não é, eterna. Ela dura mas não perdura. Ou seja, no próximo ano você pode estar comprometido e irá querer ardentemente ganhar um regalo nesta singela data.
Agora para o terceiro tipo de pessoas, ou seja, aquele tipo de pessoas que gostaria que este dia fosse todos os dias, tenho alguns comentarios:
A felicidade nunca é eterna, a gente que a faz estar aqui ou ali. Ou não estar. Ou seja, se você tem um namorado, precisa esforçar-se para ser naturalmente flexível e carinhoso, o que certamente fará que todos os dias e momentos (ou a maioria deles) seja bastante agradável.
Agora se você pertence ao terceiro caso, mas mesmo assim está solteiro, não há nenhum problema com isto. Nem há, principalmente, nenhum defeito com você. Uma hora, um dia, qualquer hora ou qualquer dia, você irá encontrar alguém especial.
Enquanto isto não acontece, seja seu proprio namorado, apreciando e gostando de si proprio. A auto-estima é o primeiro passo pra você encontrar com alguém legal e duradouro.
E quando isto acontecer, realmente faça deste Dia dos Namorados realmente "t-o-d-o-s" os dias.
Invente, crie, use a imaginação e a criatividade. Seja carinhoso, seja autêntico, seja feliz consigo proprio, tenha expectativas atingiveis, viva o presente, invente. E ame !
Ame a si proprio e ao outro. Mesmo num dia frio em São Paulo, como o de hoje.
Ou vá pra Campos do Jordão, como eu irei amanhã: escolha alguém especial e passeie, coma um fondue, faça compras, tome um chocolate quente e ouça a orquestra.
Isto tudo vale a pena !
Feliz Dia dos Namorados !

Faça sua Crônica

TEXTO EXTRAÍDO DO SITE "ALÔ ESCOLA" - http://www.tvcultura.com.br/aloescola/literatura/cronicas/facasuacronica.htm

Agora é a sua vez!

Ao ler crônicas, você conhece a visão de mundo daquela pessoa que escreveu o texto. Tão interessante quanto isso é você mesmo tentar encontrar a sua forma de ver e questionar o mundo ao seu redor. Como? Escrevendo sua própria crônica. Além de observar mais atentamente as pessoas e situações que fazem parte do seu dia-a-dia, você estará exercitado sua redação ao tentar construir textos claros e, ao mesmo tempo, criativos.
As etapas abaixo podem servir como um guia caso você esteja começando a se aventurar pelo mundo da crônica. Com o tempo, você desenvolverá seu próprio processo criativo e o texto surgirá de forma natural, sem que seja necessário seguir etapas definidas.


Etapas para escrever sua crônica:

1. Escolha algum acontecimento atual que lhe chame a atenção. Você pode procurá-lo em meios como jornais, revistas e noticiários. Outra boa forma de encontrar um tema é andar, abrir a janela, conversar com as pessoas, ou seja, entrar em contato com a infinidade de coisas que acontecem ao seu redor. Tudo pode ser assunto para uma crônica.
É importante que o tema escolhido desperte o seu interesse, cause em você alguma sensação interessante: entusiasmo, horror, desânimo, indignação, felicidade... Isso pode ajudá-lo a escrever uma crônica com maior facilidade.


2. Muito bem. Agora que você já selecionou um acontecimento interessante, tente formular algumas opiniões sobre esse fato. Você pode fazer uma lista com essas idéias antes de começar a crônica propriamente dita.
Frases como as que seguem abaixo podem ser um bom começo para você fazer a sua lista:

"Quando penso nesse fato, a primeira idéia que me vem à mente..."
"Na minha opinião esse fato é..."
"Se eu estivesse nessa situação, eu..."
"Ao saber desse fato eu me senti..."
"Sobre esse fato, as pessoas estão dizendo que..."
"A solução para isso..."
"Esse fato está relacionado com a minha realidade, pois..."

Como você deve ter notado, é muito importante que o seu ponto de vista, a sua forma de ver aquele fato fique evidente. Esse é um dos elementos que caracterizam a crônica: uma visão pessoal de um evento.


3. Agora que você já formou opiniões sobre o acontecimento escolhido, é hora de escrever sua crônica. Seu ponto de partida pode ser o próprio fato, mas esse também pode ser mencionado ao longo do texto.

Escreva! Pratique! E procure usar a criatividade para criar seu próprio estilo, pois é isso que faz de um escritor um bom cronista.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Livro novo

Pessoas, estou escrevendo pouco por aqui.
E isto tem um bom motivo: estou focando minhas crônicas para mais um livro.
Fico contente por me visitarem aqui :-)
Beijos
Dora