google-site-verification: google5518efc0d93fea89.html
https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=193955005097401183#pageelements

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Crônicas para Sorrir na Livraria Cultura



Pessoal
Agora meu livro está também na Livraria Cultura.
Compre, prestigie, dê de presente.
Beijos
Dora

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Tatu bola



Ouvi hoje no programa do Jô (aquele que um dia irei mostrar e falar sobre meu livro), uma atriz falando sobre a importancia do "Tatu Bola" na infancia dela (será que infancia sem acento tem a mesma graça?).

Lembrei-me que eu comia os tatus bolinha. Sim, eu os comia.

Lembro-me ainda do manipular do pobre bichinho. Catava-os arduamente todas as manhãs no jardim do vovô (nós morávamos na casa dos fundos), enrolava-os através do polegar e indicador direitos e punha-os de lado.

Fazia tudo de novo, tudo de novo, mas sempre olhando se um deles (ou varios) iam se abrindo. Se isto ocorresse, eu fazia de novo o movimento com os dedos da mão direita, fechando os teimosinhos novamente.

Quantos anos eu tinha? Não me lembro. Talvez uns três anos (perguntarei pra mamãe, que certamente se lembra desta coisinha nojenta). Não me lembro a idade, mas lembro-me do prazer que eu sentia em comê-los.

Sim... comê-los todos. Porque depois de enrolar uns cinco ou seis, enrolar novamente os que se desenrolavam, eu os comia. Um por um. Não todos de uma vez, mas sim "um por um", assim como quem saboreia um sushi, por exemplo.

Não me lembro do gosto. Blah. Ainda bem.

Mas lembro-me do estalo. Eles estalavam.

Isto hoje é nojento. Mas as crianças são perversas. Perversas e assassinas.

Assassinas de bichinhos (outro dia conto como meus irmãos matavam as formigas e as guardavam em caixinhas de fósforo).

A entrevista na tv hoje falava sobre não ter veterinarios para este tipo de bichinho.

Não iria adiantar. Ele não sobrevivia a uma consulta após a mastigada.

Como parei com isto? Minha mãe me pegou no flagra. Ficou só de longe olhando, olhando e olhando. Quando coloquei o primeiro daquela leva na boca, veio um tapão por trás da nuca.

Ele não foi parar longe, não. Este foi pro saco hihihi. Mas foi o último.

Comer tatu bola? Eca. Cada um tem uma mania.
E de louco, todos tem um pouco.

Hoje? Prefiro uma pizza.